O bairro mais fálico de Magé

Dê uma olhada na foto abaixo e responda: Qual é o bairro com o nome mais fálico de Magé?

Exatamente! O bairro em questão é PAU GRANDE.

Por razões óbvias, um mageense morador deste bairro se vê constrangido quando preenche seu endereço, por exemplo, para uma entrevista de emprego. Frequentemente, ele ouve piadinhas como “Deve ser um saco morar em Pau Grande, né?” ou “Duvido que foi por causa do ‘seu’ que puseram esse nome!”, ou ainda “Quem mora em Pau Grande só anda duro!”. Tão constrangedor quanto ouvir estas piadas idiotas é ter que dizer (e, para muitos, isso é um fato): “Estou namorando uma garota de Pau Grande”.

Porém, nada disso se compara ao constrangimento de ouvir esta pergunta e não saber responder:

“Por que o bairro Pau Grande tem este nome?”

Para que esta pergunta não fique mais sem resposta, vai aí um pouco de história do CU DO MUNDO:

Em 1848, as terras que mais tarde formariam a fazenda Pau Grande pertenciam a quatro irmãos. O nome Pau Grande teve origem no singular estereótipo dos habitantes encontrados nestas terras quando da chegada dos quatro irmãos. Em agosto daquele ano, três dos irmãos venderam suas terras ao ex-ministro de Estado conselheiro Aureliano de Souza e Oliveira Coutinho. Sendo o sítio restante vendido em 1854. As terras foram, depois, vendidas ao comendador Francisco Pinto da Fonseca.

Antes de morrer, porém, o comendador dividiu as terras entre seus filhos, Francisco Pinto da Fonseca Teles e Jacinto Bernardino Pinto da Fonseca, recebendo este último, depois da partilha, a fazenda Pau Grande. Em 1868, Jacinto Bernardino vendeu sua fazenda ao americano James B. Johnson, que a transferiu a João Paulo dos Santos Barreto. Este, por sua vez, a passou a Antônio Felício dos Santos, John Sherrington e Francisco José Pedro Lessa. Estes três empresários tinham o objetivo de construir ali uma fábrica de tecidos, que futuramente viria a se tornar a Cia. América Fabril, uma industria textil.

A fábrica Pau Grande, por estar isolada e se utilizando de mão de obra local, construiu e manteve uma comunidade fechada em torno, uma característica também comum a outras vilas operárias das industrias têxteis na virada do século XX. Surgiu daí a vila e, posteriormente, o bairro Pau Grande.

Isso é ou não é cultura mageense?!

E como nós não descansamos enquanto não fazemos um trabalho completo, conseguimos, com exclusividade, uma foto dos primeiros habitantes de Pau Grande. Saiba, então, o que significa, de fato, a expressão “singular estereótipo”.

About these ads

7 comentários sobre “O bairro mais fálico de Magé

  1. um lixo de reportagem vao aprender a fazer reportagem bando de manguaceiros!

  2. Vc foi simpático chamando o texto de reportagem, acho que a intenção do negócio é ser escroto. Nisso ele teve sucesso.

  3. […] Uma placa de identificação será colocada na entrada do bairro. O objetivo é fazer com que o bairro mais fálico de Magé seja conhecido em todo o mundo. O blog teve acesso ao logotipo que será construído, […]

  4. que comentários ignorantes! (nós dois sentidos da palavra)
    Boa matéria sim.

  5. […] Grande, e sendo ele um defensor dos direitos dos homosexuais, uma grande festa foi oraganizada no bairro mais fálico de Magé. Obama se esbaldou! Dançou, gritou, rebolou e desceu até o chão. Além de nos aproximarmos, […]

  6. Amei a reportagem!!!!!!!
    Vcs são demais”!!!!!!!!
    Este é um dos melhores sites que já acessei.
    As únicas pessoas que não gostam desse site são os babões dos cozzolinos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s